Escolha uma Página
Lipoaspiração e abdominoplastia: 7 mitos e verdades

Lipoaspiração e abdominoplastia: 7 mitos e verdades

Muitas pessoas confundem a lipoaspiração com a abdominoplastia, embora sejam procedimentos cirúrgicos totalmente diferentes, servindo para diferentes propósitos. Para minimizar as suas dúvidas, o Dr. Charles Berres selecionou 7 mitos e verdades em relação a essas cirurgias. Confira!

A lipoaspiração retira a gordura abdominal

Verdade: A lipoaspiração serve para a redução da gordura corporal, enquanto a abdominoplastia tem como finalidade a eliminação da flacidez por meio da retirada de excesso de pele e de gordura abdominal.

A lipoaspiração pode ser feita em diversas partes do corpo

Verdade: Sim. O procedimento tem a capacidade de definir melhor os contornos do corpo, podendo ser feito em diversas áreas, como coxas, braços, pescoço, cintura, costas, parte medial do joelho, peitos, bochechas, queixo, pernas e tornozelo.

Ambas as técnicas podem ser combinadas no mesmo procedimento cirúrgico

Verdade: Sim. É possível realizar ambas as cirurgias no mesmo procedimento, caso as queixas do(a) paciente sejam referentes tanto à gordura corporal quanto ao excesso de pele e flacidez. 

São recomendadas sessões de drenagem linfática no pós-operatório de ambos os procedimentos

Verdade: Sim. A drenagem linfática é fundamental no pós-operatório para reduzir o inchaço e a retenção de líquidos no organismo.

“Lipoaspiração” e “abdominoplastia” são termos diferentes para a mesma cirurgia

Mito: A lipoaspiração e a abdominoplastia são técnicas totalmente distintas e direcionadas a fins específicos, diferentes entre si.

Não é possível ter filhos depois de realizar a abdominoplastia

Mito: É possível ter filhos após a abdominoplastia, porém é necessário um cuidado extra com a gestação, principalmente em relação ao controle do peso. Caso contrário, a gravidez pode prejudicar os resultados da cirurgia, diminuindo a eficácia do procedimento.


O único fator a ser levado em conta em ambas as cirurgias é o peso

Mito: Não, pois o peso é somente um dos aspectos avaliados inicialmente. Outros fatores, como gordura localizada e flacidez, além do histórico clínico e o tipo de paciente, são analisados conjuntamente.

Quer saber qual desses procedimentos se adequa melhor ao seu caso? Agende uma consulta com o Dr. Charles Berres e saiba mais.

Lipoaspiração: a cirurgia plástica deixa cicatriz?

Lipoaspiração: a cirurgia plástica deixa cicatriz?

Quando se pensa na realização de uma cirurgia plástica, é muito comum surgirem dúvidas acerca de como é feito o procedimento, como é o pós-operatório e, claro, quais são as possibilidades de restarem marcas. Muitas pacientes trazem ao consultório médico perguntas sobre as temidas cicatrizes. A lipoaspiração é uma das cirurgias plásticas mais procuradas no Brasil, e são muito recorrentes os questionamentos sobre as cicatrizes nas pacientes.

Por isso, neste post, o Dr.Charles Berres esclarece todas as dúvidas sobre um dos grandes medos de quem buscam moldar o corpo com a ajuda da lipoaspiração. Vamos conferir!?

Afinal, como é a cicatriz?

A lipoaspiração é um procedimento cirúrgico para harmonizar o corpo, do qual é retirado níveis de gordura em excesso de regiões específicas, como coxas, abdômen, costas, entre outras. Para realizar o processo, o cirurgião precisa atingir os locais onde a gordura se encontra, com instrumentos específicos para a sucção. Por isso, é necessário fazer uma pequena incisão na pele da paciente para a penetração da cânula, a fim de alcançar a região em que será feita a lipoaspiração.

Ou seja, é inevitável: a lipoaspiração vai deixar cicatriz. Embora possa parecer ruim a formação de marcas após a cirurgia, há também uma excelente notícia: é muito fácil esconder a cicatriz, o que garante a efetividade da cirurgia sem deixar nenhumamarca visível. Isso porque, além de ser uma incisão muito pequena — cerca de 1cm —, o cirurgião escolhe locais em que ela não aparecerá, como, por exemplo, abaixo do abdômen — facilmente coberta pelo biquíni — e também na região das axilas. Isto é, elas ficam tão pequenas e discretas que é quase impossível notá-las.

Dicas para o pós-operatório

Vale ressaltar que, mesmo com cicatrizes pequenas e discretas, é fundamental ter muita cautela durante o pós-operatório, sobretudo nos primeiros dias de recuperação. Ter uma boa alimentação, manter-se sempre bem hidratada, é essencial evitar fazer esforço físico e expor-se ao sol para a reabilitação completa da paciente e evitar quaisquer transtornos em relação às cicatrizes.

Por isso, é imprescindível que a paciente siga todas as recomendações do médico cirurgião responsável pelo procedimento. Observar cada etapa indicada pelo profissional vai garantir um excelente resultado da lipoaspiração e deixará as cicatrizes imperceptíveis.

Cuidado com alguns fatores

Antes da realização da lipoaspiração, claro, o cirurgião exige uma série de exames à paciente, a fim de analisar as condições físicas para o procedimento. Assim, ele identifica fatores que possam vir a prejudicar uma cicatrização satisfatória, como, por exemplo, a diabetes. Além disso, o tabagismo também é um fator que dificulta o processo de cicatrização e que pode ser um empecilho na hora de fazer não só a lipoaspiração, mas qualquer outra cirurgia.

Esses fatores, vale lembrar, precisam ser discutidos com o cirurgião médico. Sem dúvidas, o profissional vai trazer a você as melhores orientações para realizar a lipoaspiração com segurança, garantindo uma cicatrização eficiente.

Escolha um profissional experiente

A qualidade do trabalho realizado pelo cirurgião também é fundamental para a cicatriz ficar imperceptível. Escolha, portanto, um profissional gabaritado, com experiência e que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Assim, você terá uma orientação correta e garantirá um procedimento seguro com resultados excelentes!

Mesmo sendo em locais discretos, ter cuidado com as cicatrizes no pós-operatório vai garantir a qualidade da lipoaspiração. Seguir as recomendações do seu médico, portanto, vai deixar você com um corpo mais harmônico e sem cicatrizes visíveis. Quer saber mais? Agende sua consulta com o Dr. Charles Berres aqui! Quer estar por dentro de mais conteúdos? Acesse nosso blog

Leia mais: 5 fatos que você precisa saber sobre lipoaspiração

Como aumentar os glúteos sem ter um resultado artificial

Como aumentar os glúteos sem ter um resultado artificial

A busca pelo corpo perfeito, mas com contornos naturais, é a razão de muitos e muitos que se candidatam para a realização de uma cirurgia plástica. Dentre os procedimentos estéticos está o aumento dos glúteos, indicado para quem tem nádegas pequenas, flácidas ou que não se sustentam naturalmente.  Quer saber mais sobre como aumentar os glúteos sem ter um resultado artificial? Acompanhe este blogpost que o Dr. Charles Berres preparou especialmente para você.

Conheça os procedimentos

Na literatura médica existem duas cirurgias plásticas destinadas a aumentar os glúteos. A primeira é a gluteoplastia, procedimento que insere uma prótese de silicone entre os músculos dos glúteos. Já a segunda é a lipoenxertia, cirurgia geralmente associada a lipoaspiração/lipoescultura, em que a gordura retirada de outras partes do corpo, como abdômen e coxas, é reintroduzida nas nádegas, de forma a preenchê-las.


Gluteoplastia

Para quem opta pelo primeiro procedimento, a gluteoplastia, dois aspectos devem ser levados em conta: o tamanho e o formato das próteses. Em relação ao primeiro tópico, o profissional deve avaliar o tipo físico da paciente, que tem impacto direto no resultado da cirurgia. Por isso, o tamanho a ser escolhido deve ser feito de forma a equilibrar a composição corporal com o volume de prótese, garantindo um visual harmônico e agradável. Sobre os formatos, eles podem ser redondos (semiesféricos) ou ovais (trapezóides). Em geral, a  primeira deixa o resultado um pouco mais artificial, pois levanta mais o glúteo, enquanto a segunda tende a imitar-se pela anatomia do músculo, proporcionando um resultado mais natural. Porém, isso também depende do tipo físico e de outros fatores, como o tamanho dos quadris e coxas.

Lipoenxertia

O segundo tipo de procedimento é a lipoenxertia, indicada para mulheres que querem utilizar a própria gordura, retirada de outras partes do corpo, para realçar os contornos no bumbum. Geralmente, essa técnica se associa à lipoaspiração ou lipoescultura, em que, mesmo os glúteos não sendo o foco principal da cirurgia, serão beneficiados, já que a gordura retirada servirá para preencher a região. A lipoenxertia é feita no subcutâneo e pode sofrer reabsorção em 20% a 40% do volume enxertado, sendo comum que os profissionais recorram a uma leve hipercorreção, a fim de compensar a reabsorção prevista.


Ambas as técnicas garantem resultados naturais, desde que sejam realizadas por profissionais plenamente qualificados e capacitados. Tem interesse em realizar uma dessas cirurgias? Marque sua consulta com o Dr. Charles Berres e tire todas as suas dúvidas. Entre em contato pelo site. 

Inverno e cirurgia plástica: por que realizar um procedimento nessa época do ano?

Inverno e cirurgia plástica: por que realizar um procedimento nessa época do ano?

Não existe contraindicação para a realização de uma cirurgia plástica em qualquer estação do ano, ou seja, é possível fazer um procedimento cirúrgico tanto nos meses mais quentes quanto nos períodos mais frios. No entanto, durante o inverno, o pós-operatório de uma cirurgia pode ser mais confortável.

Isso porque as temperaturas mais baixas contribuem para uma série de fatores positivos para a recuperação dos pacientes, como diminuição do inchaço pós-operatório, menos exposição ao sol e mais tranquilidade para ficar o tempo necessário em repouso.

Quer conhecer as vantagens de realizar um procedimento cirúrgico durante o inverno? Neste artigo, o Dr. Charles Berres vai explicar com mais detalhes os principais benefícios de fazer uma cirurgia plástica nesse período. Confira!

Período de férias

Uma das principais vantagens para o paciente realizar uma cirurgia plástica durante os meses de inverno tem relação com a tranquilidade desse período. Isso porque, geralmente, é o momento em que muitas pessoas tiram férias, o que facilita na hora de ficar em repouso em casa, na medida em que diminuem as tarefas da rotina. 

Em geral, no inverno, é comum que os pacientes tirem alguns dias longe do trabalho ou da faculdade, o que traz muitos benefícios para a recuperação. Por isso, esse período é tão procurado para a realização de procedimentos cirúrgicos.

Menos inchaço

Outro fator que favorece a realização de cirurgias plásticas durante o inverno envolve a questão do inchaço pós-operatório. Todo procedimento cirúrgico tem a possibilidade de inchar devido aos traumas causados pelas incisões. Quando as temperaturas estão mais baixas, o inchaço tende a ser menor. 

Um dos motivos é justamente o frio. As baixas temperaturas provocam a dilatação dos vasos sanguíneos, fazendo com que diminua a intensidade do inchaço. Consequentemente, o pós-operatório pode ser mais confortável e menos dolorido para o paciente. 

Menos exposição ao sol

A exposição aos raios solares desencadeia uma série de prejuízos para os pacientes que estão em processo de recuperação de uma cirurgia plástica. Além de prejudicar a cicatrização, pigmentando a região do novo tecido, a luz solar pode provocar mais inchaço durante o pós-operatório.

Por isso, realizar um procedimento cirúrgico durante o inverno é mais tranquilo em relação aos problemas gerados pela exposição solar. Além da menor incidência de luz do sol nos meses de frio, o corpo fica protegido com o número maior de roupas, não expondo a cicatriz da cirurgia plástica.

Recuperação plena até o verão

Nos meses mais quentes de verão, as pessoas ficam mais expostas ao sol e também expõem mais o corpo, seja na praia ou na piscina. Uma das vantagens de realizar um procedimento cirúrgico durante o inverno é justamente estar totalmente recuperado nos meses em que se mostra mais o corpo.

Embora a grande maioria das cirurgias plásticas tenha um tempo médio de 21 a 30 dias de recuperação, é só a partir de alguns meses que os resultados aparecem completamente. Por isso, para poder aproveitar melhor o período de férias de verão na beira da praia ou na borda da piscina, é mais recomendado fazer um procedimento cirúrgico nos meses de inverno.

Essas são algumas das principais vantagens de realizar uma cirurgia plástica no inverno. No entanto, vale ressaltar: um procedimento cirúrgico pode ser feito em qualquer época do ano, de acordo com a disponibilidade e o desejo do paciente. Os benefícios de fazer uma operação nos meses mais frios estão relacionados diretamente ao pós-operatório e não às questões técnicas das cirurgias plásticas.

Quer ficar por dentro de mais conteúdos sobre saúde, cirurgia plástica e qualidade de vida? Acompanhe o blog do Dr. Charles Berres clicando aqui!



Qual a melhor época do ano para fazer cirurgia e por que agora?

Qual a melhor época do ano para fazer cirurgia e por que agora?

Em geral, quando a paciente vai em busca de um procedimento cirúrgico estético, ela vai acompanhada de muitas dúvidas — normal. Além dos questionamentos em relação aos tipos de cirurgia, às técnicas e ao pós-operatório, também é muito comum dúvidas acerca da melhor época do ano para operar. Da parte técnica, não há nenhuma objeção a respeito de qual período é mais adequado, porém, algumas dicas são fundamentais para o conforto e bem-estar da paciente.

Por isso, neste post, o Dr. Charles Berres vai esclarecer as suas dúvidas sobre qual é a melhor época do ano para fazer uma cirurgia. Vamos conferir!?

Melhores meses

Embora a habilidade do cirurgião plástico não seja alterada pelo período, existem meses em que o pós-operatório pode ser mais adequados à paciente. Estações como o outono e a primavera, por exemplo, oferecem meses mais amenos em relação àtemperatura — nem tão quente como no verão, nem tão frio como no inverno. Por isso, para evitar os obstáculos causados pelos extremos, é mais cômodo à recuperação da paciente realizar um procedimento cirúrgico entre março e junho, ou entre setembro e dezembro.

Vale ressaltar que a segurança e a técnica não são alteradas, independentemente do mês escolhido para a cirurgia. O que irá mudar, de acordo com o período do ano, é o conforto da paciente após o procedimento. Além disso, outro fator que pode conduzir a escolha do melhor mês para uma cirurgia plástica é o momento do ano ideal para o seu caso, por exemplo, o período de férias do trabalho, dos estudos ou férias dos filhos, época em que há maior possibilidade de repousar com mais eficiência. 

É interessante conversar com seu médico sobre essas questões, pois assim você garante uma ótima recuperação, com rapidez e segurança.

Condições

Para acertar a melhor época, você também deverá conversar com o médico cirurgião responsável pelo seu caso sobre suas condições de saúde. O estado físico e mental da paciente é fundamental para a realização de uma cirurgia. Por isso, faça todos os exames que o profissional exigir e dialogue sobre as questões psicológicas atribuídas às mudanças do corpo, principalmente se o procedimento cirúrgico fizer alterações significativas.

A partir disso, seu médico irá avaliar as suas condições e discutir com mais propriedade sobre qual mês é o mais indicado para a sua cirurgia. Durante as primeiras consultas, portanto, é importante você esclarecer ponto a ponto com o cirurgião, a fim de realizar o procedimento com cautela e segurança.

Planejamento

Dependendo do tipo de cirurgia plástica que você quer realizar, é necessário entender o período de recuperação para poder fazer um bom planejamento. O pós-operatório de cada cirurgia é diferente e, principalmente, varia o tempo na duração. Por isso, é preciso que você esteja atenta e bem informada pelo seu médico.

É interessante planejar uma cirurgia maior durante um período em que você terá como se recuperar com tranquilidade. O período de férias, como já mencionamos, é muito utilizado pelas pacientes, por não ter preocupações com o trabalho, não precisar sair de casa e ter a possibilidade de descansar, seguindo todas as recomendações do médico.

Cada caso é um caso, ou seja, vários fatores vão influenciar a tomada de decisão em relação à época mais adequada para a sua cirurgia plástica. Analise o mês em que você terá menos tarefas para fazer, planeje o período de recuperação e, principalmente, tire todas as suas dúvidas com o médico cirurgião. Você pode esclarecer mais questões com o Dr. Charles Berres, sócio-diretor do Blanc Hospital, hospital pioneiro em Porto Alegre — o primeiro especializado em cirurgias do sul do país. Saiba mais entrando em contato com a clínica do Dr. Charles Berres.

Gostou das nossas dicas? Acompanhe mais no nosso blog.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Instagram